Dizer adeus e recomeçar...



Com o verão a tocar o seu ocaso, é momento de guardar todos as boas recordações no álbum da memória. Foi um verão intenso. Foi um verão de muito trabalho em que não paramos um minuto. Foi o verão dos muitos mercados, Santa Cruz, Torres Vedras, Areia Branca. Andamos com a casa às costas, reinventamos e adaptamos a palavra ambulante ao nosso próprio estilo. Montamos e desmontamos banca muitas vezes. Reencontramos colegas, reforçamos relações e fizemos novas amizades que até deram direito a carta manuscrita na caixa do correio. Uau!!! Um luxo receber uma carta que não seja uma conta para pagar!

Na quinta,  colhemos, regamos, alimentamos os nossos animais. Perdemos uma galinha. Ficamos tristes... Fizemos licor, conservamos tomates e fizemos muitos doces das mais variadas frutas. De entre elas o de phisalis que dois dias depois foi totalmente vendido. Ficamos contentes...

E agora, já com alguma nostalgia parece que vai sendo momento de fechar o ciclo e avançar. E este ano, apesar de que o verão não é a minha estação favorita, não sei se estou preparada para deixá-lo ir...

De momento seguiremos desfrutando dos últimos raios de sol. Ainda temos tomates para colher, continuaremos a regar porque a seca tem sido muita e vamos secando figos ao sol.

Aproveitem os últimos dias desta estação e fiquem por aí... vamos tentar voltar mais frequentemente, com mais noticias da quinta.






Decir adiós y recomenzar

Con el verano tocando su ocaso, es momento de guardar los buenos recuerdos en el libro de memorias. Fue un verano intenso. Fue un verano de mucho trabajo, no hemos parado un minuto. Fue el verano de los mercados. Santa Cruz, Torres Vedras, Areia Branca. Llevamos la casa a cuestas, hemos reinventado y adaptado la palabra ambulante a nuestro propio estilo. Montamos y desmontamos parada muchas veces. Reencontramos compañeros, reforzamos relaciones y hicimos nuevas amistades que hasta nos han enviado cartas manuscritas por correo. Uau!! Todo un lujo recibir una carta que no sea una cuenta para pagar!

En la finca, cosechamos, regamos, alimentamos a nuestros animales. Perdimos a una gallina. Quedamos tristes... Hicimos licor, conservamos tomates y hicimos mucha confitura de las más variadas frutas. Entre ellas los phisalis que dos días después ya estaban agotadas. Quedamos contentos...

Y ahora, con alguna nostalgia parece que es hora de ir cerrando el ciclo y avanzar. Y este año, a pesar de que el verano no es mi estación favorita, no sé si estoy preparada para dejarlo ir...

De momento seguiremos disfrutando de los últimos rayos de sol. Aun tenemos tomates para coger, seguiremos regando porque la sequía es mucha y vamos secando higos al sol.

Aprovechad los últimos días de esta estación y quedaros por aquí... vamos a intentar volver con más frecuencia, con más noticias de la finca.

4 comentários:

  1. Que bonito, este texto. Reflecte bem o sentimento de quem vive do campo. O Outono está a chegar e com ele, um tempo de maior recolhimento, mais interior, mas nem por isso menos atarefado... Desejo-vos bons dias por aí!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo quando vivia na cidade sempre vivia os ciclos-estaçoes intensamente mas no campo é diferente, parece que as estaçoes sao mais marcadas e todas nos dao muito e despedi-las dá sempre pena! Mas o outono está aí e a verdade é que gosto bastante: abóboras, nozes, azeitona e tal como dizes maior recolhimento!

      Eliminar